27 de janeiro de 2015
 
Há precisamente 70 anos os Aliados libertaram o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, expoente máximo do horror do Holocausto, do mal e da barbárie do regime nazi.
 
Hoje, no Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto, o Governo português rende homenagem aos milhões de judeus vítimas do extermínio nazi.
 
O Governo associa-se plenamente às cerimónias de homenagem às vítimas do Holocausto que, nesta data histórica, têm lugar em Auschwitz-Birkenau e em todo o Mundo.
 
Portugal recorda também os Heróis do Holocausto. Homens, como os diplomatas portugueses Aristides de Sousa Mendes, Carlos Sampaio Garrido e Alberto Teixeira Branquinho que, pela sua coragem e altruísmo, resgataram da morte milhares de judeus e outras vítimas do extermínio nazi. O seu exemplo não deixará de inspirar as gerações presentes e futuras.
 
Ao assinalar esta efeméride, o Governo reafirma a necessidade de se preservar indelevelmente a memória do Holocausto e de assegurar que as gerações vindouras não esquecerão. Por esta razão, Portugal contribuiu financeiramente para a conservação das instalações do Campo de Concentração de Auschwitz-Birkenau através do Fundo Perpétuo da Fundação Auschwitz-Birkenau.
 
Celebra-se este ano o 15o aniversário da Declaração de Estocolmo, estando Portugal, enquanto signatário e membro observador da Aliança Internacional para a Memória do Holocausto, empenhado em promover a educação sobre este tenebroso episódio da História. Evocar o Holocausto é alertar em permanência para perigos, que infelizmente ressurgem nos dias hoje, como sejam o ódio, a intolerância, a discriminação, a xenofobia e o racismo, contribuindo assim para a sua inequívoca rejeição.
  • Partilhe